Bulimia

O que é a bulimia?

Outro distúrbio alimentar é a bulimia. A bulimia pode ser independente, ou fazer parte da evolução da Anorexia e é caracterizada por episódios repetidos de voracidade alimentar seguidos por comportamentos que visam compensar mas que são inapropriados, tais como: vómito auto-induzido, abuso de laxantes, diuréticos ou outras medicações, jejum prolongado ou exercício físico excessivo. Esta doença é mais frequente em jovens do sexo feminino.

Para que seja possível dizer que uma determinada pessoa sofre de bulimia, é necessário que os comportamentos de ingestão compulsiva e os de compensação aconteçam, em média, duas a três vezes por semana, num período mínimo de três meses. As pessoas com este tipo de doença colocam uma ênfase excessiva na forma ou no peso do corpo, sendo estes factores, tipicamente, os mais importantes na determinação da auto-estima.


 

Quais as suas causas?

As causas da bulimia são muito simples: a pessoa manifesta medo em engordar, pelo que se comporta de acordo com tal receio (após ingerir uma determinada quantidade em alimentos tem a tendência a expulsá-los o mais rapidamente possível através do vómito induzido, de laxantes, diuréticos ou outro tipo de medicamentos); verifica-se também, na alimentação do indivíduo uma ingestão compulsiva dos alimentos, passando posteriormente longos períodos sem comer, e mostrando uma incapacidade de controlar tais episódios.
 


Quais os seus sintomas?

Os doentes que padecem de bulimia apresentam os seguintes sintomas:

· Recusa em usar roupas que exponham o corpo;

· Idas frequentes à casa de banho logo após as refeições;                                            

· Compra de produtos como laxantes e diuréticos;

· Pouco interesse pelo contacto físico e sexual;

· Obsessão com o peso;

· Busca de dietas muito radicais;

· Longos jejuns;

· Uso excessivo de laxantes e/ou indução do vómito.


 

Quais os seus efeitos fisiológicos?

A bulimia traz consigo inúmeras consequências físicas para quem dela sofre, como por exemplo:

· Destruição da protecção dos dentes ;

· Face inchada;

· Músculos fracos;

· Lesões no fígado;

· Dores de barriga persistentes;

· Dedos inchados;

· Lesões nos músculos intestinais;

· Desidratação;

· Períodos menstruais  irregulares;

· Vómitos com sangue;

· Inflamação na garganta;

· Lesões no esófago;


· Aparecimento de feridas nos dedos.


 

 

Quais os seus efeitos psicológicos?

Tal como a anorexia, os efeitos psicológicos da bulimia são o isolamento de modo a que o doente não se depare com comida e posteriormente a depressão, resultante da sua inconformidade com o seu corpo e do isolamento social.



Como se pode tratar?

O prognóstico da bulimia é muito favorável, pois os doentes com bulimia mantêm quase sempre o mesmo peso corporal, ao contrário dos anoréxicos, que reduzem bastante o seu peso.

Primeiro o bulímico tem que aceitar a sua condição de doente.

Posteriormente é que se deve proceder ao tratamento, que consiste na vigilância/regularização dos hábitos alimentares e na psicoterapia, sendo esta última acompanhada de medicação.

 

Panfleto sobre a BULIMIA

Segue em anexo o panfleto que elaborámos sobre esta patologia.

panfleto_bulimia.pdf
File Size: 403 kb
File Type: pdf
Download File